segunda-feira, 25 de maio de 2009

Petiscos musicais

Estou finalizando hoje uma reportagem sobre músicas brasileiras com versões em outro idioma. A pesquisa durou meses e rendeu achados que são verdadeiras pérolas, como música gaúcha em alemão, "Trem das Onze" em inglês e bossa nova em japonês.

A matéria será publicada daqui a alguns dias e eu a lincarei no Augustfest. Por hora, deixo de petisco duas das pérolas que encontrei. A primeira é um exemplo de versão bem feita. "Asa Banca", em inglês, cantada por David Byrne:



A outra, bizarra, é uma versão "Família Adams fazendo veraneio", em russo, da música "Bate forte o tambor", do grupo Carrapicho.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Tantas emoções na volta ao Brasil

Ontem entrevistei o grande, o maravilhoso, o famigerado, o magnífico (cover do) Roberto Carlos. A entrevista foi na não menos celebrada Niterói (na verdade, estive no cover do ponto turístico carioca. A entrevista foi em Niterói, bairro de Canoas, na grande Porto Alegre).

No fim, Carlos Alberto da Silva cantou uma música só para mim:

video

Segundo meu amigo Fabiano Flores, fã do Roberto Carlos, a entrevista poderia ter encerrado com esta fala: "São tantos alemães..."

Carlos Alberto da Silva é cover do Roberto Carlos há 12 anos. Participou de concurso de melhor cover do Rei no Caldeirão do Huck e já esteve duas vezes no Faustão (como ele é magrinho, coube no palco). Creio porém que sua maior honra foi essa entrevista que me concedeu e que vai ao ar no programa Diverso, da Rede Minas.

Conheça (ou contrate) o clone do Rei cutucando aqui!

***

Depois da volta repentina da Alemanha, fiquei certo tempo de molho pensando em o que fazer com este blog, o Augustfest (vai que você achasse que está em outro blog!). Na verdade não fiquei pensando só nisso não, eram várias coisas a serem pensadas, mas essa foi uma. Enfim, este blog existe há apenas oito meses e já tem muita história. Mesmo que eu não tenha mais como relatar minha experiência de intercâmbio, acredito que seria muito triste deixar o blog para trás.

Com isso decidi que o Augustfest vai relatar agora qualquer tipo de experiência. Bastidores de reportagens que eu fizer, situações engraçadas que eu empreender ou perceber, e por aí vai. O estilo seguirá o mesmo de todos os posts que fiz até agora. E se por acaso eu voltar à Alemanha algum dia, vocês perceberão que o blog não vai ter mudado muito.

É isso. Espero que o blog siga com os leitores de antes. Senão vou achar que o povo estava interessado na Alemanha mesmo, não nas minhas histórias.

Grande abraço!