quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Depois de ser pauta, viro novamente jornalista...

Faz tempo que digo: "em breve, falo mais sobre a história da família que me recebe." Não era enrolação não. É que eu esperava a matéria que escrevi entrar no site da revista Continuum, do Itaú Cultural. Isso aconteceu hoje.

Dei uma liga que vou te contar. Acho que na segunda semana na Alemanha troquei emails com um dos editores, contando como estava minha vida aqui e que história de vida maravilhosa tinha essa família. Casualmente, eles estavam preparando uma edição da revista (que é mensal, com temas sempre ligados à cultura) sobre imigração. A história se encaixava direitinho.

Ah, bom deixar claro: quando falo em história de vida maravilhosa, não é força de expressão. Para você entender, copio aqui o início do texto, que já diz muita coisa. Se você se interessar, cutuque no link depois e continue lendo no site da Continuum.

***

"Na Alemanha, um pouquinho de Brasil, iá, iá...
Em Haselünne, pequena cidade no norte da Alemanha, uma família multicultural vive diariamente a experiência de intercâmbio

Por Augusto Paim

No dia 17 de outubro de 2003, início da tarde, a alemã Christine Hoffmeister chegou ao abrigo Tia Júlia, em Fortaleza, Ceará. Trazia consigo a carta autorizando a adoção do menino José Iládio da Silva Rodrigues. Havia já seis anos que Christine esperava por essa decisão judicial, e agora a tinha em mãos. Não conseguiu nem almoçar, de ansiedade.

Na porta do abrigo, a assistente social pegou a carta, leu e falou: 'Não pode ser. Aqui diz que é para você adotar o Iládio. Ele tem um irmão!'. Christine não sabia. Iládio, de 6 anos, foi escolhido para adoção porque era o primeiro da lista de espera. A assistente social fez Christine entrar. Lá dentro, mostrou a carta a outras funcionárias do abrigo. Todas ficaram surpresas. Diziam: 'Vão separar os irmãos.'

Christine foi levada para a sala onde se faz o contato inicial entre os pais adotivos e a criança. Iládio entrou. A assistente social fez a apresentação: 'Iládio, agora você tem uma nova mãe. Ela vem da Alemanha'. O menino sentou-se no colo de Christine. A nova mãe disse: 'Eu aprendi português para falar com você'.

As pessoas na sala discutiam sobre o problema do irmão. Christine entrou no assunto e não percebeu quando Iládio, pequeno e magro, saiu de seu colo. Em instantes, porém, voltou, trazendo pela mão outro menino, ainda menor. Os dois foram até Christine.

'Benedito', disse Iládio para o irmão, 'essa é nossa nova mãe.'"

Leia mais.

4 comentários:

Carla Arend disse...

Augustinho, aqui eu já me engasguei. Vou lá pro site ver o resto...

Carla Arend disse...

e agora comentando, que história, che... e eu pensando que a moça queria abusar de ti.

:)

dá um abraço nela, diz que é muito bonita.

Edina Girardi disse...

Augusto!!! vim aqui elogiar que me diverti muito com teu último post e tem esse agora da história da Christine... muitas emoções nesse blog... bjão p ti e sorte nesse pedacinho de Brasil na Alemanha!!

Edina

Chapeuzinho disse...

és + sério como jornalista do q como pauta, heheheh O brasil é sem dúvida além do futebol, samba e praia o país da burocracia! Um boa matéria, li na íntegra!