quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Bate o sino na cabeça do menino

No último domingo, aconteceu um evento em Meppen para arrecadar fundos para um projeto em Fortaleza que lida com crianças de ruas. Há um homem na cidade que ajuda monetariamente uma menina no Brasil já faz alguns anos. Foi ele quem organizou tudo isso. No evento, bolas autografadas por jogadores de futebol alemães foram leiloadas. Christine, minha anfitriã, quando leu sobre isso no jornal, entrou em contato com esse homem e contou que ela havia adotado dois meninos do Brasil. Ela e as crianças foram então convidadas para falar ao público no evento, de modo a tocar os corações e as carteiras das pessoas.

Mas já já mostro isso. Primeiro veja um pequeno teatrinho no Weinachtsmarkt, um mercado natalino que tem por tudo que é lugar aqui na Alemanha nessa época do ano.

video
Agora, o momento em que Christine e os meninos falam para o pequeno público. Atenção, pode parecer maçante, mas assista até o fim, porque algo realmente surpreendente vai acontecer.

video

Não sei o que foi mais engraçado, o quase-tombo da Christine (não filmei a sambadinha cai-não-cai dela por respeito, embora pudesse ir pras video-cassetadas) ou o Benedito se sentindo um pop star e não querendo abandonar o palco. Pensando bem, acho que o mais engraçado veio depois, quando fui chamado ao palco, de surpresa, e fiquei lá um bom minuto escutando um monte de palavras e entendendo apenas "Copacabana" e alguma piadinha infame sobre o Brasil, dita pelo homem no microfone. Mas ninguém filmou a cena.

Enfim, depois desse momento inutilidade pública, publico aqui um pequeno texto explicando melhor as tradições natalinas na Alemanha. Recebi o texto de Oliver Batsch, da agência de Aupairs pela qual eu vim parar aqui. Imagino que seja dele a autoria:
***

"São Nicolau: origens e lendas

A história de São Nicolau, bisco da cidade de Myra, na Ásia Menor, remonta ao século IV. Ele nasceu entre 270 e 280, de uma família rica oriunda da cidade de Lycia, na atual Turquia. Ficou órfão cedo e foi criado em um monastério, onde foi ordenado padre aos 17 anos. Ele viajou pelo Egito e Palestina antes de retornar a Lycia, para se t ornar o bisco da cidade de Myra, onde faleceu em 6 de dezembro do ano de 343.

Nicolau era um homem muito generoso, conhecido por sua caridade e sabedoria, e que abriu mão de sua riqueza em nome dos necessitados. Ele costumava sair disfarçado à noite para distribuir dinheiro, roupsa e comida aos pobres.

A mais famosa lenda em torno do santo é a referente a três irmãs pobres, que tinham pretendentes, mas, no entanto, não podiam pagar por seus dotes. Por ser muito tímido, São Nicolau subiu no telhado da casa das moças e jogou três moedas pela chaminé da casa. As três moedas caíram dentro de três meias, que secavam penduradas na lareira. Por esse motivo, estabeleceu-se a tradição alemã de deixar sapatinhos dentro de um prato, do lado de fora da casa.

Na Alemanha, durante o período natalino, a figura de São Nicolau está presente em todos os lugares, em chocolates de variadas formas.

Para os alemães, São Nicolau é um bispo de barba branquinha. Para a visita do santo, as casas e os sapatinhos das crianças precisam estar cuidadosamente limpos. Na véspera da visita, as crianças colocam, em um prato, em pares de botas ou em seus sapatos, cartas para o bom santo junto com cenouras ou outras comidas para o burro ou cavalo branco que o acompanham.

Tudo isso é posto do lado de fora da casa, debaixo da cama ou ao lado do aquecedor, na esperança de que seja encontrado pelo santo na manhã seguinte.

Durante a noite, São Nicolau vai de casa em casa carregando um livro, no qual estão anotados todos os pedidos de todas as crianças. Se elas se comportaram bem durante o ano, ele preenche os pratos, sapatos ou pares de botas com frutas, nozes e guloseimas. Se não, elas encontram batatas, carvão e galhos.

As crianças ensaiam poemas e canções para São Nicolau e elaboram pequenos presentes para ele. Amigos e vizinhos juntam-se para celebrar a data juntos. Velas e cenas da Natividade são acesas, contam-sem histórias, cantam-se canções. Tudo para aguardar a chegada do velhinho.

Ele chega com seu grande livro, um cajado dourado e um grande saco. Cada uma das crianças presentes coloca-se diante do santo, que pergunta a todas elas:

"Você se comportou diretinho? Fez o seu dever de casa? Manteve seu quarto arrumado? Você ajuda os seus pais?"

Então, ele abre o grande saco e distribui presentes e doces a todos. São Nicolau não se demora, pois ainda tem muitas casas para visitar.

Hoje em dia, em algumas partes da Alemanha, São Nicolau já se parece muito mais com o Papai Noel, e vem no dia de Natal, e naõ mais no dia 6 (dia do santo). A influência vinda de outros países, da televisão e grandes lojas torna muito mais difícil o encontro com São Nicolau de fato. Sua aparência atual sugere que as figuras centrais do Natal alemão, como São Nicolau e o Menino Jesus, estão se transformando."

3 comentários:

Nath "no" Alemanha disse...

Meu caro! Ainda nao vi o video, mas vejo em breve, hahahhahah Sou a Nath, da APN tb, carioca, loirinha... Sabe? rs
Te favoritei.

Bjsss

Caro disse...

Oi, Saukerl!
Já conhece esse palavrão?

Escrevi um post, mas perdi ele. Enfim, repetindo...
Nasci em Panambi, que é uma cidade de colonização alemã. Lá era costume colocar o sapatinho na janela. Eu tinha um de cerâmica e sempre que eu acordava tinha um chocolate ou bala dentro dele. Isso era muito emocionante. Tenho isso muito vivo na minha memória. Colocava as botas também, mas não tinha a mesma graça, o sapatinho era muito mais legal, porque ficava na janela do meu quarto e tinha toda aquela expectativa de ver o Papai Noel.
:)

Feliz Natal atrasado.

Ana Cláudia disse...

Mas, que horror!!!!! Não acredito que você foi capz de colocar a tua "mãe alemã" caindo!!!! Que vergonha...como se diz em alemão "rozraine". Não, não!!!