quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Roda de chimarrão na Alemanha

A vida nos reserva muitas surpresas. Acabo de achar um inusitado parceiro pro mate aqui, no interior da Alemanha.

video

Ele gostou mesmo. Tanto que falei-lhe sobre os gaúchos, cantei-lhe músicas do Rio Grande do Sul. Ainda fizemos uma roda de chimarrão multicultural, porque a Kláudia, funcionária da clínica, também veio sentar com a gente. Ela queria saber como fazia, como tomava, etc. Brasil, Alemanha e Afeganistão unidos pelo mate.

Depois ficamos só eu e o Saboor e, falando sobre amor, ele me contava o que sentia por Marlena, sua coleguinha. Eu disse que ela tinha sorte de ter ele. Ele me perguntou por quê.

- Saboor, você é tudo que uma garota de sete anos pode querer!

Ele ficou lisongeado, e eu me estourei rindo.

7 comentários:

Patrícia disse...

inolha, se vc tá dizendo, certeza de que a Marlena tem sorte de ter ele...ahahaha. Que beleza de post. Beijo enorme, guri.

Edina Girardi disse...

Xente!! que coisa mais amada esse guri tomando chimarrão!!!

pode parecer bobagem, mas é super louco um peuqeno afeganistão tomando o chimarrão gaúcho na Alemanha.

e depois tem gente que acha que a globalização não tem nada de bom...

saudades de ti Augusto... mas tanta gente foi te visitar... deve ter sido massa!!!

bjos

Gustavo Hennemann disse...

Mas home, que cena!!
Grande galinho prateado afegão. Imagino ele viciado no mate depois que tu vai embora. Vai querer uma cuia de presente.
Saudades do amigo.
Abraço.

Leonardo disse...

Tche, que coisa bonita. Não tem um vídeo teu que eu não me abro rindo, seja lá do quê.
abração!

Anderson Ribeiro disse...

Loiro, vc falou ou falhou com ele? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. O que tinha nessa sua cuia? era maté ou outro mato? kkkkkkkkkkkkk. Vai viciar o povo daí no mate e eles te matam antes de vir pra cá. 'O Mate ou eu te Mato!' o que deve corresponder em alemão a ... 'passemeer o matum or ya matuumner'

Frederico disse...

"Amargo doce que eu sorvo
Num beijo em lábios de prata.
Tens o perfume da mata
Molhada pelo sereno.
E a cuia, seio moreno,
Que passa de mão em mão
Traduz, no meu chimarrão,
Em sua simplicidade,
A velha hospitalidade
Da gente do meu rincão".

Que tal Augusto! levando a hospitalidade no nosso "rincão" para a Alemanha hein!
Olha que mate vicia! vai ter que deixar teus apetrechos para o guri tchê!

Abração!

PS.: notícias do Betinho?

Ana Cláudia disse...

Você cantou para o Saboor?! Pobre guri...

PS: Te compreendo Saboor. O Augusto participou de um coral de um coléio que estudamos, mas ficou pouco tempo...